<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
sábado, julho 07, 2007
FOTOGRAFIA EM MORA
Um acervo de fotografia municipal e de fotojornalismo e um arquivo de imagens e design podem vir a «nascer» na antiga estação ferroviária de Mora (Évora), num projecto do município e de uma associação cultural constituída recentemente."

No Diário Digital

Espero que não se esqueçam de pôr as pessoas
com as mãos na massa. Ou seja: é preciso incentivar fazer fotografia, sobretudo os jovens e outras populações com interesses específicos (mulheres, imigrantes, populações do interior, pessos que vivem em condições precárias..). A fotografia é um meio de intervenção e uma descoberta artística e de informação.
 
José Carlos Abrantes | 8:17 da manhã |


2 Comments:


At 11:50 da manhã, Blogger Fernando Pinto

Este comentário foi removido pelo autor.

 

At 11:52 da manhã, Blogger Fernando Pinto

Ora aqui está um belo projecto... Fazem falta iniciativas deste género no nosso país, refiro-me à parte esquecida de Portugal, ao interior.

Abraço,
Fernando Pinto