<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
sábado, setembro 20, 2008
IMAGENS DA REALIDADE
A força dos fracos
Pedro Mexia

(...) A modalidade teve origem no Canadá, na década de 1970, e pode ser descrita como "rugby em recinto fechado".epois da louvável prestação portuguesa nos Jogos Para-Olímpicos, revi em DVD Murderball (2005), documentário nomeado para os Óscares que estreou cá com o título Espírito de Combate. É um documento humano memorável que nasceu de uma reportagem jornalística acerca da equipa americana de murderball.(...)

(...)E nós entretanto já vimos que eles sofrem horrores, que passaram anos até terem de novo vidas independentes, até conseguirem despir as calças sozinhos ou comer sopa sem ajuda, anos de fisioterapia, de gadgets tecnológicos, de apoio das famílias. Um homem conta que às vezes sonha que o seu corpo está inteiro e saudável como antigamente. Outro mostra uma fotografia antiga com as pernas vivas e ágeis. Outro ainda confessa que todos eles imaginam que um dia se levantam e andam, Lázaros recuperados depois de uma morte precipitada. Mas eles nunca mais andam, nunca mais terão a vida de antigamente. E a vida continua. Uma vida nova, modificada, mas tão digna como a de outros tempos.(..)


No Publico, hoje
 
José Carlos Abrantes | 7:44 da manhã |


0 Comments: