<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
domingo, janeiro 29, 2006
PROVEDORIAS

"Manuel Pinto despede-se da função de Provedor do Leitor do JN

Manuel Pinto, professor na Universidade do Minho e principal dinamizador deste blog, completa hoje dois anos como Provedor do Leitor do "Jornal de Noticías". Ao longo deste período, eu e os meus colegas da UM testemunhámos a sua permanente preocupação em colocar o seu cargo ao serviço de uma leitura mais crítica e mais participativa por parte dos leitores do JN. Hoje, no texto de despedida, Manuel Pinto faz uma balanço do seu trabalho e deixa notas de motivação para continuar uma caminhada que ele próprio contribuiu para alargar e enriquecer:

"Daquilo que descobri e aprendi, nestes dois anos, um ponto se destaca. Nós, portugueses, somos ainda muito conformistas e estamos longe de exercer em plenitude os nossos direitos de cidadania. Muitos de nós, leitores, nem sequer conhecemos os direitos e responsabilidades que nos cabem como cidadãos, como consumidores, como pessoas. Ora quem não conhece o que lhe cabe, não exerce e fica condenado à menoridade da cidadania. Mas não basta conhecer. Muitos conhecem, mas não dispõem dos recursos para as iniciativas (de protesto, de comentário, de aplauso) que se imporiam.

(...)

Isto significa que muito do que se pode fazer neste campo cabe certamente à educação escolar, ao associativismo e às iniciativas da vida cívica, mas cabe também, e em medida não pequena, aos meios de comunicação e ao JN em particular, que continuam a ser instituições sentidas como inacessíveis, por quem está de fora. Se este Jornal quiser abrir-se mais ? e eu julgo que só teria a ganhar com isso ? precisa de tomar medidas, algumas delas bem simples como seja: dar mais dignidade e, porventura espaço, à secção de cartas do leitor; publicar com mais destaque os endereços vários para os quais os leitores possam contactar os departamentos do Jornal, incluindo o do próprio provedor; e, sobretudo, instituir com regularidade um espaço de informações sobre as iniciativas, opções e critérios relacionados com a vida do próprio jornal."

este post, escrito pela Felisbela Lopes, foi retirado do Jornalismo e Comunicação

Felicito o Manuel Pinto na conclusão do mandato. Foi com gosto e proveito que li as suas crónicas. Resta esperar que um novo provedor seja empossado em breve no JN.
 
José Carlos Abrantes | 7:49 da tarde |


1 Comments:


At 7:38 da tarde, Blogger Manuel Pinto

Obrigado pelas tuas palavras, José Carlos. O JN promete não só continuar com a função mas também dar a conhecer em breve o nome do novo provedor. Esperemos que assim seja.
MP