<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
terça-feira, fevereiro 15, 2005
IMAGENS DE CINEMA: Documentários

Iniciou-se ontem um ciclo, Família, odeio-te, de documentários franceses, no Institut Franco-Portugais. O filme em exibição ontem, La Trace Vermillon (A Marca Vermelha) é da autoria de uma jovem, Delphine de Blic e refere-se a uma perda que esta sentiu pois a sua mãe, quando criança, partiu para a Índia para fazer trabalho humanitário. A mãe ia e vinha, mas diz Delphine, "as partidas constantes deixavam-me vazia...Nunca me lembrava dos regressos." O irmão, que também depõe no filme, não questiona praticamente essa escolha da mãe. Interroguei a realizadora que na sessão se referiu várias vezes ao amor que a mãe lhe tem e teve, mas que, no filme, em minha opinião, não deixa transparecer essa afectividade, revelando antes grande oposição e conflito à decisão da mãe e à sua personalidade. Se uns concordaram comigo, outros, como Isabel Ruth, acharam o contrário.
Talvez não possa esquecer os regressos....
O filme foi discutido com a presença de Serge Treffaut, também autor de um filme, Fleurette, sobre sua mãe que será exibido a 7 de Março, às 21h. E o ciclo encerrará com História de um segredo, de Marian Otero, que já passou nas salas portuguesas (14 de Março).
 
José Carlos Abrantes | 11:33 da manhã |


0 Comments: