<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
quarta-feira, março 08, 2006
IMAGENS DE JORNALISMO

Hoje, Vicente Jorge Silva, escreve sobre o filme Boa Noite, e Boa Sorte que estreou recentemente. Sem esquecer o enquadramento político dos filmes, recorre à sua bagagem cinematográfica:

"Em Boa Noite, e Boa Sorte, George Clooney reconstitui, num contrastado preto e branco de film noir e com uma precisão maníaca de detalhes, a atmosfera da América "mccarthista" dos anos 50, quase sem sair do espaço fechado e claustrofóbico de um estúdio de televisão. Mas esse olhar clínico e quase "documental" (gerindo sagazmente a ambiguidade entre o "documental" e o "ficcional", sobretudo nas cenas em que aparece McCarthy como se fosse um actor do filme), em vez de nos afastar cinco décadas para trás, aproxima-nos da actualidade. Quanto mais rigorosa é a observação desse tempo datado, mais fortemente somos projectados, com uma eficácia fulgurante, para o tempo em que vivemos, para a América de George W. Bush, do Patriot Act e de Guantánamo."

 
José Carlos Abrantes | 9:53 da manhã |


0 Comments: