<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
domingo, maio 25, 2003
IMAGENS DE CINEMA

Fui ver Sur mes lévres, de Jacques Audiard. Trata-se da estória de uma secretária, surda que aceita como estagiário um ex-recluso, acabando os dois por se ajudar mutuamente e evoluindo a sua relação para o amor, no fim do filme. A surdez de Carla, 35 anos, obriga-a a usar uma prótese. Esse é um dos aspectos interessantes da obra pois os sons ora existem ora desaparecem (dependendo de a prótese estar ligada ou desligada). Este aspecto gera perturbação, talvez semelhante ao que a surdez gera nos que dela sofrem. Por outro lado, Carla lê nos lábios das pessoas o que permite que ela ouça o que os ouvintes não conseguem. Em terceiro lugar o filme é construído com planos apertados dando uma intimidade pouco usual às imagens e gera alguma perturbação no olhar ou exige alguma atenção ao for a de campo. Num exemplo breve: um carro para num lugar de parqueamento. O plano apertado deixe levemente perceber que, ao abrir-se a porta, sai um corpo apenas parcialmente visto Ouvem-se sons de passos afastando-se (outro fora de campo) e entra o ex-recluso para abrir furtivamente a porta do carro mas apenas se vê o seu trabalho de mãos. Paris em todo o filme vê-se poucas vezes: que me recorde só há um plano geral em que se vê a Torre Eiffel e depois alguns planos de ruas.
 
José Carlos Abrantes | 7:19 da tarde |


0 Comments: