<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
sábado, maio 24, 2003
IMAGENS NA CINEMATECA

Tive que dar uma pequena corrida para chegar às 15h 30 à Cinemateca onde se exibia mais uma vez, The Great Train Robbery, de Porter, datado de 1903. Já tinha visto excertos mas nunca o filme inteiro (cerca de 10 minutos). Foi com alguma emoção que vi as diferentes cenas do assalto ao comboio e perseguição dos bandidos naquele que é considerado um filme com uma narrativa, então inovadora e criadora de um modo de contar estórias que o cinema, nessa altura, ainda não tinha. A estória desenvolve-se em diferentes espaços, diferentes tempos, mas ainda sem montagem paralela. Logo na primeira sequência se vê a habilidade de Porter pois enquanto os assaltantes atacam e manietam o empregado da estação, vê-se, atavés de um grande espaço envidraçado, a chegada do comboio à estação: as janelas vão abrindo vendo-se o aparecimento de 2 ou 3 passageiros do comboio. Ou seja, plano fixo com movimento diante da câmara e percepção de dois espaços)o de dentro e o de fora) pelos espectadores.
Lamentavelmente, o plano final, da pistola que aponta para a plateia e que tanto assustou os espectadores da época, não se viu. Não há mesmo bela sem senão….
 
José Carlos Abrantes | 6:47 da tarde |


0 Comments: