<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
terça-feira, outubro 12, 2004
LENDO IMAGENS

Li mais dois capítulos do livro Lendo Imagens, de Alberto Manguel. Uma das imagens é o retrato de Tonigna, uma rapariga peluda, do século XVI. O capítulo tem como subtítulo a imagem como compreensão. O outro, a imagem como testemunho, refere-se a uma fotografia de Tina Modotti, datada de 1927. Trata-se de uma reflexão sobre a imagem como reflexo da realidade, desde os tempos de Plínio até à fotografia. Fascinante também é a personalidade da fotógrafa, que foi amante de Weston, um fotógrafo marcante e também de Diego Rivera, o muralista mexicano. Na parte final estão algumas reflexões sobre os pés, a sua ligação à terra e aos seus modos de representação em diferentes momentos. Não posso deixar de recordar uma fotografia de Paul Almasy, Desiguladades Sociais na América Latina que usava nas aulas e uso nos cursos de formação. Essa imagem tem também um enquadramento de parte das pernas e pés de dois homens sul americanos, sentados, um calçado outro descalço. Modotti morreu aos 45 anos.
 
José Carlos Abrantes | 11:59 da tarde |


0 Comments: