<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
terça-feira, abril 08, 2003
IMAGENS E ACTUALIDADE

1 No DN dá-se conta que Pacheco Pereira irá avançar com um protesto formal contra a Euronews . Pacheco Pereira que considera que a Euronews está a fazer uma cobertura da guerra no Iraque «completamente manipuladora e pouco objectiva», colando-se à posição franco-alemã em relação ao conflito.
«Se fosse um canal privado, não tinha nada a opor, mas trata-se de um canal que se assume como o canal europeu de notícias, que tem financiamentos comunitários e que está aliado a várias estações públicas de televisão da Europa», explicou ao DN Pacheco Pereira.
Mais um dado para mostrar as dificuldades da informação em tempo de guerra sublinhada também no artigo de José Vitor Malheiros CNN, divisão aerotransportada e na peça de Paulo Miguel Madeira Guerra acentua dificuldades em lidar com liberdade de imprensa, ambos no Público.

2 As imagens da Euronews têm um elemento que considero muito interessante e que são os "No comments".São peças em bruto, sem comentário jornalístico, o que permite ao espectador aperceber-se de um elemento, o som natural, quase sempre apagado pela palavra dos jornalistas. Ainda aqui estes deveriam ser formados a respeitar o mais possível as sonoridades naturais significativas, não abafando com comentários inúteis, peças representativas da verdade. Por outro lado estas peças são um elemento muito interessante para o trabalho pedagógico dos professores que trabalham no domínio da educação á imagem. Aqui voltarei….
 
José Carlos Abrantes | 11:41 da manhã |


0 Comments: