<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
quarta-feira, novembro 26, 2003
IMAGENS de televisão

"Deputado do PSD encarregue dos media, Luís Campos Ferreira, considera que o país não está bem servido em termos de conteúdos televisivos , responsabilizando, por tal situação, a Alta Autoridade para a Comunicação Social, «a quem falta coragem para uma leitura firme de certos conceitos».

«Há um conjunto de conteúdos, particularmente nas televisões, que podem configurar uma violação clara da lei da televisão», disse Luís Campos Ferreira ao DN, lembrando que não nos podemos esquecer daquilo que se designa por «ética de antena».

O desejo do deputado seria mesmo de interferir em certos conteúdos da informação televisiva, considerando que esta é uma questão de fundo. «A nova lei da televisão proíbe imagens pornográficas em determinado horário. Imagine que um telejornal abre com um assunto de pedofilia, com imagens e linguagem que não são nada recomendáveis para certos telespectadores. É uma questão que tem de ser sujeita à ética de antena», defende o deputado social-democrata, revelando que «o PS concorda com esta análise».

O baixo valor das sanções em caso de violação da lei da televisão é, no entender deste deputado, outra questão a rever, porque neste momento o crime compensa. «O valor das coimas aplicadas é muito inferior ao valor resultante da publicidade conseguida com essa mesma violação da lei. E isto não pode continuar».

Esta peça vem hoje no Diário de Notícias. Vale a pena sublinhar o imagine (todos somos que nunca aconteceu, oh ironia) e o acordo do PS. Esperemos que sim pois a se vciu que a autoregulação dos jornalistas, no prime time televisivo, é uma figura de retórica.
 
José Carlos Abrantes | 9:17 da tarde |


0 Comments: