<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
sábado, fevereiro 21, 2004
UMA IMAGEM, UM LIVRO

A capa do último livro de Antonio Tabucchi , “Está a fazer-se cada vez mais tarde”, da responsabilidade de Henrique Cayatte com a colaboração de Rita Múrias, é um atractivo, por si. Um homem e uma mulher, abraçados, presume-se que unidos por um beijo. Ela com um chapéu, um decote nas costas. O chapéu e o corpo da mulher impedem que se veja o rosto dele: sá as mãos, um braço, o casaco, um pedaço das calças, nos assinalam a figura masculina. A mulher além do vulto, do vestido preto, do decote, do chapéu branco apercebe-se num delicado gesto: com a mão, quase imperceptível, segura o chapéu. Uma foto que sublinha o título, “Está a fazer-se cada vez mais tarde”, que nos antecipa o prazer de uma leitura e que nos evoca a presença de um terceiro (o fotógrafo), aquele que captou um momento de intimidade e entrega. Momentos, como canta Pedro Abrunhosa. Uma capa deliciosa, subtil, para o texto das cartas que um homem envia a várias mulheres. São raros os casos em que o design do livro, nos antecipa o prazer de ler…Eis um.
 
José Carlos Abrantes | 1:14 da manhã |


0 Comments: