<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
quinta-feira, abril 14, 2005
AS LEGENDAS DAS IMAGENS

O 5º prémio de fotojornalismo Visão/Bes foi atribuído a uma foto que no sítio da Visão tem a seguinte legenda: “Menina desfila no pátio da Catedral de Braga antes da procissão (Março de 2004).”A foto é de Sandra Rocha , da agência Kameraphoto. O interessante é que a foto tem sido assim descrita na maior parte dos orgão de informação. Mas quem a olha percebe imediatamente que a legenda é redutora. A força da fotografia vem do contarste entre a menina e um par de namorados que se avista ao fundo, encostados a uma parede. As sombras e a iluminação dão o espaço cénico dessa oposição. Um contraste muito vivo preenche a imagem. Esse contraste é um dos elementos visuais que dá força às fotografias de imprensa.

O outro aspecto interessante é o financiamento deste prémio pelo Banco Espírito Santo, mostrando essa conexão económica que liga hoje os criadores, os espectadores, as instituições e as imagens. Conexão que importa ter presente para a sua compreensão, não para lançar quaisquer anátemas ou "empobrecimentos" á sua criação e difusão..
 
José Carlos Abrantes | 2:47 da tarde |


0 Comments: