<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
sexta-feira, agosto 31, 2007
IMAGENS EM PALAVRAS










"O taiwanês Ang Lee é o mais camaleónico dos realizadores contemporâneos, e um salta-pocinhas cultural. Muda de pele e de ambiente de um filme para o outro, moldando-se a todos os géneros, pegando em todo o tipo de histórias e assumindo a identidade cinematográfica que cada filme pede. Nos últimos quatro anos, Lee realizou, nos EUA, um filme de super-heróis com efeitos especiais (Hulk), uma história de amor gay em cenário de western (O Segredo de Brokeback Mountain) e agora, na Ásia (Hong Kong e Malásia) um enredo de amor passado na II Guerra Mundial. Isto não significa que ele seja um cineasta anónimo, mas sim que tem uma capacidade única de adaptação do seu estilo e dos seus temas e interesses ao material que escolhe.

Precisamente, no centro de Lust, Caution (Competição) está um dos assuntos favoritos do realizador: a forma como a paixão, o desejo sexual ou a atracção amorosa pesam sobre os destinos das pessoas e as levam a fazer coisas que de outra forma nem sequer considerariam."


Eurico de Barros, no DN, hoje.
 
José Carlos Abrantes | 9:27 da manhã |


0 Comments: