<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
domingo, agosto 10, 2003
IMAGENS DE CINEMA

Dois dias, dois filmes:ontem "A viagem de Morven Callar", da escocesa Lynne Ramsay, hoje "Dolls" de Takeshi Kitano. Um e outro têm referências no Cinema 2000 e o primeiro deu origem a um texto de João Lopes no Diário de Notícias de ontem, texto que vale a pena ler .

Do filme japonês, que acabei de ver há uma hora, fica-me uma impressão deslumbrante do trabalho feitos sobre a côr com planos e sequências lindíssimas (diferentes cores nas folhas das árvores, por exemplo, ou a lua, o negro da noite e a bolinha encarnada de um brinquedo…), o encanto das histórias paralelas que se cruzam em flashbacks sucessivos (um destes, conta uma patética história de amor em que o homem interrompe o namoro para melhor pensar na sua vida havendo um reencontro…dezenas de anos depois..), a inclusão de momentos de narrativa repetida e ainda uma angústia que perpassa na descrição raramente agitada (excepto a parte referente à cantora pop e a um ou dois momentos de violência entre "irmãos").
 
José Carlos Abrantes | 6:08 da tarde |


0 Comments: