<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
terça-feira, março 02, 2004
TELEVISÃO em directo

Cinco segundos é o titulo de um artigo publicado hoje por José Vitor Malheiros e que mostra bem como se fabrica hoje (ou pode fabricar) o directo em televisão. Cinco segundos são uma eternidade para um realizador que controla várias camaras, embora nada sejam, por exemplo, na doce vida dos enamorados ou na trepidação agitada de um quadro citadino. É, porém, o tempo suficiente para transformar uma acontecimento num outro que dele se afaste: JVM lembra o breve discurso de Michael Moore, autor de Bowling for Columbine, no ano passado, contra Bush. Este ano não passaria.

A justificação para esta diferença foi a necessidade de controlar quaisquer imprevistos na senda do que aconteceu com o seio de Janet Jackson, seio que correu mundo a partir da sua exibição no Superbowl. A verdade é que este é um bom exemplo para mostrar como a televisão espelho da realidade, se pode transformar numa outra realidade. Mesmo no directo. Mesmo em França. Mas o melhor é ler o artigo do JVM.
 
José Carlos Abrantes | 1:12 da tarde |


0 Comments: