<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d4000921\x26blogName\x3dAs+Imagens+e+N%C3%B3s\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dLIGHT\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://asimagensenos.blogspot.com/\x26vt\x3d8145402830606333396', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
segunda-feira, novembro 14, 2005
FAZER IMAGENS

No Falar de blogues também se fabricaram imagens. Leia o qure escreveu o André de Carvalho no Geração Rasca.

"Com a chegada da Joana Amaral Dias, começaram a disparar flashes por todo o lado. Subitamente parecia que estava numa disco. A sala toda forrada a preto, cadeiras pretas, e as luzes brancas dos flashes sempre a zurzir, fizeram-me lembrar, por momentos, algumas das saudosas discotecas manhosas da década de oitenta do Bairro Alto. Só faltava o som dos Cult ou dos Bauhaus para o filme ficar completo.

Parecia que não havia ninguém naquela sala que não possuísse acoplada, em si, uma extensão digital que tirasse fotos - o Mcluhan é que tinha razão. Para ajudar à party e, para mais tarde recordar, no centro da mesa, José Abrantes levanta os braços e também começa a replicar a plateia com a sua extensão digital, flashando tudo e todos. Cada vez que apontava a câmara na minha direcção, eu esforçava-me por fazer um ar sério e compenetrado, mas era cada flashada, que não era humanamente possível suportar toda aquela luz de olhos abertos e manter simultaneamente uma pose adequada à circunstância."

Não haverá quem tenha uma foto minha de braços levantados e a flashar tudo e todos? Só fiz três fotografias...que diria o André se tivessem sido trinta...
 
José Carlos Abrantes | 3:52 da tarde |


1 Comments:


At 9:20 da tarde, Blogger BRUNOFERREIRA

com o jeito que ele tem para narrativa... um best seller.
Um rapaz tem jeito não tem?

Escrevo à pouco tempo para o geração rasca e só posso dizer que tive sorte, porque os rapazes são realmente criaturas inspiradas.